Dificuldade em adormecer ou costuma acordar ainda cansado?

Estes sintomas são recorrentes, principalmente entre os jovens, e podem estar relacionados diretamente com as tecnologias que não saem das suas mãos: smartphones, tablets, computadores, smartwatches, etc.

A luz emitida por estes dispositivos altera o chamado “ritmo do sono”, de uma forma que os cientistas ainda não compreendem. Ou seja: o uso desses aparelhos no período noturno faz com que o cérebro não percecione que está na hora de dormir. Assim, este acaba por não enviar o sinal correto para a produção da melatonina, a hormona do sono.

Isto acontece porque o sol é o maior produtor de luz azul do nosso quotidiano. Ao estarmos constantemente expostos a esta luz, o cérebro não consegue entrar em modo de repouso completo.

Além de desligar os aparelhos, pode também trocar a polaridade dos ecrãs, colocando fundos pretos e letras brancas para diminuir a incidência de luz ou, como já existem em alguns smartphones, o “modo noite”.

Comentários

comentários