O daltonismo é um distúrbio da percepção visual, que acontece quando os cones oculares, responsáveis por diferenciar as cores, não estão em pleno funcionamento.

A origem do daltonismo está directamente ligada a questões hereditárias e, em média, é mais comum em homens do que em mulheres.

O daltonismo pode ser congénito ou adquirido. Quando é congénito, quer dizer que o paciente já nasce com disfunção na retina, é mais comum no sexo masculino e traduz-se na dificuldade em ver o vermelho e o verde.

Já o daltonismo adquirido dá-se quando ocorrem lesões no nervo óptico, na retina ou no córtex cerebral, região do cérebro que faz o reconhecimento das imagens.

A doença pode manifestar-se de diferentes maneiras: quando é parcial, a pessoa percebe as cores, mas numa tonalidade mais fraca, sentindo apenas dificuldade em ver cores específicas; se o daltonismo for completo, o indivíduo não vê uma cor específica, o que o leva a ver outra cor que não a real.

Para pessoas daltónicas, existem algumas limitações, como o exercício de algumas profissões, como motoristas profissionais e pilotos. No dia a dia, em situações ditas “simples”, como combinar as cores da roupa, pode ser um desafio.

As crianças apresentam sinais de confusão na distinção de cores, sobretudo quando iniciam a sua vida escolar.

Se sofre ou conhece alguém que sofra de alguma dificuldade a distinguir as cores, procure um especialista experiente em daltonismo, que consiga dar os melhores esclarecimentos e conselhos sobre este distúrbio ocular.

Comentários

comentários